Janine de Souza Leal Torrens

Time

Janine de Souza Leal Torrens

(Publicado em 03/09/2012)

Janine está no grupo desde o início das atividades. Já atuou em oito espetáculos e este ano participa da peça “Dias Melhores”.




1.Janine, há quanto tempo você participa do grupo Red?
Estou no grupo Red desde o início, em 2003. Mas já participava do projeto com o Fábio e a Karin antes de ser um grupo de teatro, desde 2000.

2. Você está no grupo desde o inicio das atividades, como é para você fazer parte desta história há tanto tempo?
É maravilhoso fazer parte de uma história há tanto tempo, pois esta história é a minha história, participar das conquistas, dos dias tristes e felizes é algo simplesmente lindo pra mim. Somos uma verdadeira família e compartilhamos nossas vidas, se um do time passa algum momento triste, com certeza todo o restante sofre junto, se é algum momento feliz, todos compartilham dessa alegria. Então sou uma pessoa privilegiada de poder participar de algo tão lindo que é o grupo Red.

3. De quais espetáculos do Grupo Red você já participou?
Participei das peças: “Além da Fronteira”, “Esperando Amanhecer”, “Na Força das Águas de um Rio”, “Uma História pra Contar”, “O que você tem haver com a Corrupção?”, “Dias Inesquecíveis”, “Dias mais que Inesquecíveis” e “Dias Melhores”.

4. De onde nasceu seu personagem na peça “Dias Melhores”?
Quando estávamos ensaiando a peça “Dias Inesquecíveis”, não sabia como a personagem seria, nos ensaios que os personagens vão tomando forma, o Fábio nos diz como cada personagem deve ser, é ele quem escreve e dirige as peças. A minha personagem seria alguém autoritária, que mandava no marido e em todos ao redor, e que teria rompantes de fúria, hehe.

5. Nesse espetáculo você é esposa do personagem Saraiva, interpretado por Maicon, que fora dos palcos também é seu marido. Como é essa experiência para você?
É uma experiência engraçada, pois já tínhamos feito outras peças, mas na peça “Dias Inesquecíveis” foi a primeira vez que fizemos a peça juntos, como marido e mulher. Muitas vezes chegamos na nossa casa e começamos a rir do que aconteceu naquele dia…e pelo fato de termos tanta intimidade, nos ajuda muito. O difícil é ser séria, ou segurar os risos.

6. Depois de tanto tempo no grupo, o que você acredita que mudou em sua vida?
Eu sempre digo que comecei realmente a viver após esse período que passei a participar do Red. Devido há tantos conflitos internos, aos 16 anos não tinha perspectiva na minha vida, não imaginava um futuro ou planejava alguma coisa, era alguém muito infeliz, que de forma alguma imaginava que estaria envolvida num projeto que trabalha com o amor, com a alegria, pois eu era o inverso de tudo isso. O grupo, as pessoas das quais convivo me ajudam a ser uma pessoa melhor. A cada dia, tudo sempre parece diferente dentro de mim, sempre há um motivo pra sorrir.

7. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Com certeza, a peça trabalha valores hoje esquecidos que são tão essenciais. Quem assiste ao teatro sempre se vê de alguma forma, pois são retratadas situações vivenciadas no dia-a-dia. Os espetáculos falam sobre o amor, a amizade, sobre o respeito, sobre conflitos internos, família e sobre o bulliyng. Sempre tratando de assuntos delicados, por isso acredito que ajuda de alguma forma a superá-los. Houve casos, em que alunos que assistiam ao espetáculo no nosso auditório e que haviam brigado na escola, ao término se abraçaram chorando, pedindo perdão, já outros que ligaram para os pais após a peça, falando que os amava. Diretoras de escolas nos disseram que com a ida ao nosso auditório, alunos com problemas de comportamento, mudaram completamente. Então acredito que essa mensagem não é apenas educativa para o hoje, mas para o resto da vida.

8. Na sua opinião, o que os filmes do grupo podem oferecer às pessoas?
Assim como as peças, os filmes sempre retratam uma realidade. E já ouvimos centenas de pessoas que assistiram aos filmes do nosso grupo e mudaram sua maneira de pensar, de agir, sua perspectiva de vida. Como sempre falamos de uma palavra pequena, mas tão significativa que é o amor, sabemos que é isso que transforma pessoas, fazendo-as mais felizes, independente da situação que se encontram.

9. Para você, qual a importância de fazer um trabalho voluntário?
É muito gratificante, porque aparentemente estamos ajudando as pessoas, mas nós é que estamos sendo ajudados. Cada abraço que recebemos, cada depoimento, assim como cada lágrima que vemos, é algo tão profundo que se torna impossível de colocar em palavras. E se hoje eu sou tão feliz e tenho superado minhas dificuldades, é porque alguém se dispôs voluntariamente a me ajudar. Sei que o que faço é tão pouco, e jamais será o suficiente, mas faço por gratidão a Deus, por tudo aquilo que vivo. E é um sentimento de quanto mais você dá, mais você recebe.

10. O que é o Grupo Red para você?
A expressão de um imenso amor, de tudo o que vivemos e de tudo o que fazemos. Buscamos influenciar as pessoas para o bem, e usamos o amor, porque esse é o idioma que todos entendem.

11. Deixe uma mensagem para todos os nossos leitores.
“O amor é o único bem que aumenta quando é repartido”. Por isso ame, viva, acredite e seja feliz.

Jonas Kopp

Time

Jonas Kopp

(Publicado em 12/07/2012)

Jonas está no grupo há quase oito anos. Ele estreou como ator este ano, em nosso espetáculo “Dias Melhores”.




1. Jonas, há quanto tempo você participa do grupo Red?
Vai fazer oito anos.

2. Este ano foi sua estréia como ator, conte-nos como foi essa experiência para você.
Tudo o que você faz pela primeira vez não tem como fugir do nervosismo. Na estréia lembro que fiquei extremamente nervoso, entrei literalmente tremendo. Ainda fico nervoso, mas está sendo muito bom, a cada depoimento que leio depois das apresentações vejo que tudo vale à pena, pois as pessoas conseguem sempre levar alguma mensagem positiva da peça. Já tivemos relatos de pessoas que mudaram suas atitudes depois que viram a apresentação, isso me deixa feliz. E fazer do jeito que fazemos, com simplicidade e alegria faz com que cada apresentação seja única e especial.

3. Na peça “Dias Melhores” você interpreta um advogado muito engraçado. De onde nasceu este personagem?
Este ano entraram alguns personagens novos no espetáculo que está no seu terceiro ano, e meu personagem é um advogado que vem para administrar o dinheiro do Bruno que esta gastando toda sua fortuna. A idéia deste personagem era que fosse alguém firme, duro e ao mesmo tempo engraçado, por isso a idéia de fazer uma imitação do Hitler usando seu jeito de falar e adaptar isso dentro do contexto da história. Acabou ficando engraçado assim como todos os personagens. Essa mistura de personagens tão diferentes é que faz a história ficar divertida.

4. Depois de tanto tempo no grupo, o que você acredita que mudou em sua vida?
Minha vida mudou por completo, minhas atitudes, a maneira de enxergar a vida, de ver as pessoas. Aprendi que Deus ama a todos da mesma forma e isto nos faz refletir que não somos mais do que ninguém. O trabalho no Red é um trabalho de doação, e isto com certeza faz a pessoa se tornar um ser humano melhor, pois fazendo o que fazemos temos a chance de poder ajudar alguém que está precisando de ajuda, seja ela qual for. Aprendemos a amar e a ser amados, e aprendemos a passar o amor que transforma vidas.

5. Sua família também participa do grupo, isso reflete em seu lar?
Com certeza. Pois vivemos as mesmas coisas, estamos juntos no Red que faz parte de nossa família. Não somos de Joinville e ter pessoas tão especiais sempre tão perto faz amenizar a saudade. Moramos aqui há 5 anos e agora temos uma filha de 2 anos e ela sempre está junto participando, é muito bom ver ela e saber que ela está crescendo num ambiente que todos a amam, e onde ela vai poder crescer aprendendo valores que hoje estão tão perdidos.

6. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Tenho certeza que sim. Todo final de peça nos emocionamos muito quando vemos os alunos ouvindo a mensagem que é passada, e vemos como elas são tocadas. É bom ver as pessoas rindo muito durante a peça e no final se emocionarem. A peça trata de assuntos que são muito vividos nas escolas, como o Bullying. Aqui mesmo em nossa cidade escutamos com mais freqüência casos de brigas e espancamentos. Creio que isto está diretamente ligado com a relação com os pais e com a ausência de Deus dentro dos lares, e no coração de cada um, mensagens que também são passadas na peça, por isso acho que tudo o que fazemos em todas as nossas peças, através do teatro, pode ajudar a transformar vidas.

7. Na sua opinião, o que os filmes do grupo podem oferecer às pessoas?
Assim como as peças, os filmes procuram transmitir sempre uma mensagem de que Deus ama a todos, e que nunca estamos sozinhos, mesmo quando estamos nos sentindo fracos e perdidos, Ele nunca nos abandona mesmo quando nós O abandonamos. Seu amor é incondicional e verdadeiro. Os filmes falam disso, do amor, do perdão, da amizade, e de como podemos ser felizes quando conseguimos ter essa certeza em nossos corações.

8. Para você, qual a importância de fazer um trabalho voluntário?
Como falei anteriormente, o Red é um trabalho de doação, e também de dedicação e disciplina. Não podemos fazer nada do que fazemos se não estivermos todos ligados no mesmo objetivo. Antes de fazermos o bem para os outros fazemos bem a nós mesmos e só assim conseguimos passar o amor para as pessoas. Ajudar o próximo nem sempre está ligado a algo material, às vezes as pessoas querem apenas um sorriso, um abraço, uma palavra que lhe conforte o coração, que a faça sentir que elas não estão sozinhas, e é isso que buscamos fazer, sempre com simplicidade e amor.

9. O que é o Grupo Red para você?
É um lugar simples, de pessoas simples que estão simplesmente buscando a Deus, e doando suas vidas para levar o amor de Jesus. Um lugar onde nos sentimos bem e onde somos felizes, um lugar onde ninguém é perfeito, mas onde sentimos que Deus está ao nosso lado.

10. Deixe uma mensagem para todos os nossos leitores.
Há um tempo atrás li um livro que o autor dizia que nós seres humanos somos “pessoas perfeitamente imperfeitas”, e realmente somos, por isso não podemos julgar a ninguém e não podemos nos considerar melhores do que ninguém. O mundo de hoje é um mundo onde somos julgados pela nossa aparência, todos fazem de tudo para alcançarem seu status de “eu sou o melhor”, mas o único que foi e sempre será perfeito é Jesus, e é Ele que é o nosso amigo verdadeiro, que nunca desiste de nós, que nos ama e sempre nos amará.

Iury Korting de Abreu

Time

Iury Korting de Abreu

(Publicado em 12/05/2012)

Iury está no grupo há quase 5 anos. Neste tempo já fez parte de 7 espetáculos, entre eles nossas peças atuais “Dias Melhores” e “Tão Perto”.



1. Iury, há quanto tempo você participa do grupo Red?
Vai fazer 5 anos em agosto.

2. De quais espetáculos do grupo você participou como ator?
Uma história pra Contar, Red West, Fábrica dos Sonhos, Dias Mais que inesquecíveis, Dias melhores, Nossas histórias de Amor e Tão perto.

3. Na peça “Dias Mais que Inesquecíveis”, assim como na “Dias Melhores”, você interpreta um personagem famoso na cidade de Joinville, a Dn Balinha. Como nasceu essa idéia?
Tinha uma pessoa do Red (Thaiza) que já conhecia a Dona Balinha (a verdadeira). Um dia estávamos brincando no carro e ela imitou, eu achei engraçado e imitei também. Passou um tempo e eu tinha que fazer a Chapeuzinho Vermelho em um Red Show, quando eu entrei no palco e estava com a cesta na mão veio a idéia de imitá-la, quando imitei, todo mundo lembrou da personagem real. Então na peça “Dias mais que Inesquecíveis”, o Fabio (diretor) decidiu colocá-la no roteiro, logo a personagem foi se tornando o que ela é hoje.

4. Você também faz parte do terceiro longa do grupo, fale um pouco sobre seu personagem.
Bom, o nome do meu personagem é Iury, ele é irmão gêmeo do André (interpretado pelo Renato). Nós estamos no mesmo quarto dos personagens do Thiaguinho e do Bruno e os ajudamos a entender como funciona o acampamento e como ser uma pessoa de Deus é mais legal do que eles imaginavam. O personagem é um gordinho engraçado, portanto tive que engordar pra fazer…hehe…brincadeira, eu sou gordinho mesmo, hehe.

5. Você não é de Joinville e veio para cá sozinho, sua família também não é daqui. O grupo lhe ajudou de alguma forma a superar essa distância?
Quando vim morar em Joinville eu não conhecia ninguém. Vim para estudar, então conheci o Thiago Silva que estudava comigo e era do grupo. Logo comecei a freqüentar e ganhei uma família. Hoje em dia o Red é minha grande família, posso contar com todos pra tudo, desde ir na minha casa me fazer companhia a me ensinar a ser uma pessoa melhor. Amo todos e não consigo me imaginar longe deles.

6. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Sim, com certeza. Hoje em dia as pessoas perderam seus três pilares: os pais, a educação e Deus. Nas peças esses três temas são vistos como de grande importância. Acho que se as pessoas tivessem esses três pilares o mundo seria melhor.

7. Na sua opinião, o que os filmes do grupo podem oferecer às pessoas?
Os filmes tratam de temas importantes como um namoro certo (no primeiro filme) ou a reconciliação de um casamento (no segundo filme). Temas que hoje em dia não são tão comentados. Sem falar que fala bastante de Deus, e sobre o amor que é algo que vem se esfriando no mundo.

8. O que mudou em sua vida depois de fazer esse trabalho voluntário?
Antes eu era uma pessoa que só pensava em mim, só queria as coisas pra mim. Mas hoje eu comecei a ver que não é bem assim, trabalhar como voluntário me fez deixar de querer ser o centro e me mostrou que o mundo é muito mais que meu umbigo.
Sem falar que fazendo o bem a alguém, por mais que seja fazer rir, eu estarei fazendo bem a mim, pois não há algo mais gratificante do que ver uma pessoa feliz.
Ainda sou cheio de erros, mas aprendo cada dia mais com as pessoas e com Deus.

9. O que é o Grupo Red para você?
O grupo Red é um lugar onde tem pessoas que são como eu, cheio de erros porém com a vontade de acertar. Acho que é um lugar onde eu aprendo muito, tanto relacionado a Deus como para a vida.

10. Deixe uma mensagem para todos os nossos leitores.
Existe duas partes da bíblia que eu guardo, então acho legal compartilhar. A primeira é “Deus não escolhe os perfeitos, mas aperfeiçoa os escolhidos” e “Venha a Deus do jeito que você estiver”.
Acho que Deus não julga ninguém, portanto quem quiser buscá-lo é só tentar que não vai se arrepender.

Renato Balbino Pinto

Time

Renato Balbino Pinto

(Publicado em 04/04/2012)

Renato está no grupo há 8 anos. Já fez parte de 7 espetáculos, dois deles sendo nossas peças atuais “Dias Melhores” e “Tão Perto”.



1. Renato, há quanto tempo você participa do grupo Red?
Eu já participo há oito anos.

2. De quais espetáculos do grupo você participu como ator?
Além da Fronteira, A vida mora ao lado, Na força das águas de um Rio, Red West, Fábrica dos Sonhos, Dias Melhores e Tão Perto

3. Na peça “Dias Melhores” você representa 3 personagens diferentes, como é essa experiência?
É uma correria bem grande, eu troco de roupa cinco vezes antes que termine a peça, mas essa maratona é divertida.

4. Como nasceu o personagem do Silvio Santos?
Em um encerramento do Red, não lembro o ano. Fizemos uma premiação e várias categorias, e quem apresentou foi o personagem Silvio Santos, foi aí que ele surgiu.

5. Você faz parte também do terceiro longa do grupo, fale um pouco sobre seu personagem.
O nome do personagem é André. Ele é irmão gêmeo do Iury, os dois se tornam amigos do Bruno e do Tiago e juntos eles vivem uma grande amizade.

6. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Eu acredito. Por trás de todas aquelas risadas, as pessoas aprendem a não fazer bullyng, não perder a fé, valorizarem as amizades e com a mensagem do final as pessoas podem ter suas vidas transformadas.

7. Na sua opinião, o que os filmes do grupo podem oferecer às pessoas?
Os filmes são de conteúdo para toda a família, e levam mensagens diversas de fé, esperança e sempre demonstrando Deus de uma forma simples, porém bela.

8. O que mudou em sua vida depois de fazer esse trabalho voluntário?
Eu era uma pessoa com muitos defeitos e muito triste, depois que eu comecei a fazer parte do grupo e fazer esse trabalho minha vida foi mudando aos poucos. Hoje sou uma pessoa que ainda tem defeitos sim, mas completamente feliz e diferente daquela pessoa que eu era.

9. Fora do grupo você trabalha como enfermeiro. Você consegue aplicar o que aprende no grupo, em sua vida profissional?
Sim, eu acho que consigo. Sei que para falar de Deus não preciso usar palavras, apenas com atitudes. Posso ser eu mesmo e ainda assim levar o que eu aprendo.

10. O que é o Grupo Red para você?
O Grupo Red para mim é como a minha casa e as pessoas são como a minha família, lá eu me sinto à vontade, lá tenho grandes amigos e, principalmente, lá posso fazer alguma coisa pelas pessoas que não conheço, mas que podem ter suas vidas mudadas pelo nosso trabalho.

11. Deixe uma mensagem para todos os nossos leitores.
Deus transforma a vida de todas aquelas pessoas que estão dispostas a abrir seu coração para deixá-lo entrar, eu fiz isso e Ele continua a me mudar a cada dia.

André Vieira

Time

André Vieira

(Publicado em 11/03/2012)

André está no grupo há 9 anos. Já atuou em 11 espetáculos, e agora participa das peças “Dias Melhores” e “Tão Perto”.




1. André, há quanto tempo você participa do Grupo Red?
Acho que são 9 anos já. Eu assisti a primeira apresentação do Grupo em 2003, e a peça foi feita pra mim aquela noite! Depois disso eu entrei.

2. De quais espetáculos do grupo você participou como ator?
“Além da Fronteira da Morte”, “Esperando Amanhecer”, “Em Todo Tempo”, “Red West”, “Uma História Pra Contar”, “Fábrica dos Sonhos”, “Nossas Histórias de Amor”, “Dias Inesquecíveis”, “Dias Mais que Inesquecíveis” e “Dias Melhores”, “Tão Perto”.

3. Fale sobre seu personagem, o “Gaúcho Gilvan”, na peça “Dias Melhores”.
Gilvan é um gaúcho da fronteira, ele é muito macho, o pessoal não entende muito ele. Em “Dias Melhores” ele tenta provar o quão macho é arranjando uma namorada, mas não dá muito certo.

4. No que você se baseou para interpretar o Gaúcho?
Acho que foi sem querer, num Red Show, eu ia fazer um cara que atendia um disk ajuda, e na hora eu peguei uma coberta e um chapéu e imitei uma voz de um gaúcho que escutei numa rádio. Todo mundo riu. O personagem foi ficando e virou o Gilvan.

5. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Acredito. Temos muitas notícias de melhorias nas turmas de escolas que assistem a nossos espetáculos, pessoas que mudam suas atitudes em relação ao bullying e agora defendem essas pessoas que sofrem bullying, amizades que são resgatadas de pessoas que não se falavam mais, pessoas que saíram no braço pedindo perdão um pro outro, pessoas que não falavam com os pais e agora falam, e por ai vai. Com certeza traz uma mensagem educativa.

6. O que mudou em sua vida depois de fazer esse trabalho voluntário?
Deus foi mudando minha vida a cada trabalho que fiz no Red. Cada cenário que ajudei a construir, cada troca de cenário, a cada atuação, a cada viajem. Eu tinha uma grande tristeza e Deus foi colocando alegria. Eu era muito isolado também e Ele me deu amigos maravilhosos, verdadeiros irmãos. É engraçado pensar que você era triste e hoje faz as pessoas rirem. Acho que ainda estou mudando. As mudanças são poucas olhando isoladamente, a cada dia de trabalho, mas em relação ao tempo em que se esta fazendo esse trabalho, as mudanças se tornam grandes. E no fim você vê como Deus mudou a sua vida, mudou seu caráter.

7. Toda a sua família participa do grupo, como é ter todos eles aqui com você?
É muito bom ver eles fazendo parte de uma história tão bonita. Chegar ao fim de cada espetáculo e poder dar um abraço em seus familiares, não tem preço. Chegar no almoço e falar “meu, o que rolou naquela parte que eu não vi e tal?”, “meu, tinha uns caras que choravam, mas quem eu não vi”, “tu esqueceu aquela parte”…”ah é, nem lembra hahaha”, sabe essas coisas. Acho que sou privilegiado.

8. O que é o Grupo Red pra você?
É um grupo que leva alegria e o amor aonde vai, uma família que é movida por Deus.

9. Deixe uma mensagem para todos nossos leitores.
Deus pode mudar a sua vida como mudou a minha, é só dar o primeiro passo.

Adrielle Cardoso Serena

Time

Adrielle Cardoso Serena

(Publicado em 03/06/2011)








1. Adrielle, quanto tempo você está no Grupo Red?
2 anos e 4 meses

2. O que mudou em sua vida depois de fazer esse trabalho voluntário?
Tudo, e a maior mudança de todas foi no meu interior, conheci o amor, hoje eu sei o que é ter uma família. Encontrei o sentido de viver, através do amor de Deus trabalhando no Grupo Red, a cada apresentação, a cada dificuldade, a cada conquista. Larguei as drogas a 2 anos e 4 meses, me reconciliei com os meus pais, hoje tenho amor por eles, minha vida estava destruída completamente, mas tudo mudou, nunca iria imaginar que eu faria parte de um grupo que leva amor e alegria pras pessoas que era algo que eu não tinha.

3. Você fazia artesanatos e você tem usado isso na confecção de cenários?
Acredito que sim, se eu vejo que eu posso ajudar de alguma forma. Engraçado, antes eu fazia bichos de pelúcia pra vender mas eles ficavam muito feios, ai ano retrasado tínhamos uma apresentação no Hospital Infantil pra crianças com câncer, pude então fazer e ensinar as meninas do Red a fazerem bichos de pelúcia pra essa peça, é incrível quando fazemos com amor tudo fica mais bonito.

4. Como é o clima nos bastidores dos espetáculos?
A galera leva a sério, mas nos divertimos demais, a troca de cenário todo mundo fica nervoso na hora, depois quando acaba a gente se abraça e ri.

5. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Sim, a cada espetáculo vemos depoimentos de pessoas que se identificam com a peça, que expõem seus sentimentos e até problemas, seja com família, com bullyng e tantas outra coisas. É lindo ver as pessoas rindo, chorando e se abraçando, muito mais que uma mensagem educativa, acaba preenchendo muitos corações.

6. O que é o grupo red pra você?
Como eu li em um livro chamado ‘Canivete’ : O Grupo Red é um canivete nas mãos do carpinteiro,é uma ferramenta simples, mas nas mãos de Jesus (carpinteiro) pode transformar muitas vidas.

7. Deixe uma mensagem para todos nossos leitores?
Eu caminhei por caminhos muito errados, mas nunca é tarde pra recomeçar sua vida, pode ser agora mesmo.

Maicon Torrens

Time

Maicon Torrens

(Publicado em 01/03/2011)

Maicon Torrens é professor de Educação Física e um de nossos atores em nosso terceiro filme. Ele também atua em nossos novos espetáculos, “Dias Mais que Inesquecíveis” e “Nossas Histórias de Amor”.



1. Maicon, há quanto tempo você participa do Grupo Red?
Há sete anos.

2. De quais espetáculos do grupo você participou como ator?
São dez ao todo: “Esperando Amanhecer”, “A Vida Mora ao Lado”, “Na Força das Águas de um Rio”, “Red West”, “Fábrica dos Sonhos”, “Uma História pra Contar”, “Dias Inesquecíveis”, “Dias Mais que Inesquecíveis” e “Nossas Histórias de Amor” (nossas peças atuais), além de uma peça para o público infantil e um espetáculo que apresentamos mensalmente, o qual chamamos de Red Show.

3. Fale sobre seu personagem na peça “Dias Mais que Inesquecíveis”.
O Saraiva é uma pessoa inocente e mandado pela mulher, tem dois grandes amigos que foram criados com ele, acaba tendo uma surpresa agradável e ajuda um de seus amigos a não ser enganado por um aproveitador.
Se quiserem saber mais assistam ao espetáculo “Dias Mais que Inesquecíveis”.

4. Você atua também no terceiro longa da Red Films. Como tem sido a experiência de trocar os palcos pelas câmeras?
É difícil trabalhar com o sentimento através da expressão facial. Não é fácil, pois são trabalhos distintos. O filme exige total concentração e entrega, já nos palcos contamos com o improviso e muitas risadas.

5. Como é contracenar com sua própria esposa no teatro?
É engraçado, pois faz dois anos que contracenamos juntos e em nosso caso, a arte não imita a vida, é tudo completamente diferente do que vivemos em nosso casamento. Chegaram a ter dias que rimos muito depois do teatro por coisas que aconteceram na peça.

6. Você é professor de Educação Física. Em que área específica você atua?
Trabalho com escolinha de futsal, treinando crianças com idades entre 03 e 13 anos.

7. O que é o Grupo Red pra você?
Um time de pessoas normais, diferentes umas das outras, porém com o mesmo objetivo, que é o de levar o amor onde quer que estejamos.

8. Deixe uma mensagem para todos os nossos leitores.
Ainda que não seja aplaudido pelos maiores da terra, faça a diferença pelo maior do mundo.

junho 2017
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930